Doutorado

O radicalmente outro nas cidades: espacialidades da experiência e heterologia urbana a partir de Georges Bataille

Breno Luiz Thadeu da Silva

2016

O radicalmente outro nas cidades é o heterogêneo irredutível e não exemplar que contesta e escapa à utilidade, à funcionalidade e à racionalidade. Trata-se, portanto, de uma inflexão crítica aos processos de homogeneização das cidades. As noções de experiência e de heterologia a partir de Georges Bataille fornecem o plano conceitual inicial dessa abordagem. Tais noções assumem significações diversas no movimento da escrita atravessada por “documentos” de vestígios do heterogêneo nas cidades, como na noção de espacialidade da experiência. A experiência é a prática que põe em risco o que for que tome parte nela, provocando situações heterogêneas que escorrem sob domínios e propriedades, emergindo o diferente, o estranho, o outro. Sua comunicação coloca o conhecimento em crise, como um “não saber” que inevitavelmente acena para um gaio saber. Nesse sentido se estabelece a aproximação da heterologia segundo Bataille. A heterologia como “conhecimento do radicalmente outro” é uma crítica aos modos de produção de conhecimento e uma aposta em um “não saber” diante do heterogêneo, diante da sua irredutibilidade, o que pode desdobrar em outro saber. Um saber jovial que se arrisca e, aqui, vai consistindo em uma abordagem da cidade valendo-se dos “documentos” dos vestígios do heterogêneo, angariando a sua dimensão trágica na evidência da “parte maldita” que irremediavelmente constituí a cidade e assombra seus sujeitos, propriedades e instituições.


Palavras-chave: Heterogêneo nas cidades. Radicalmente outro. Espacialidade da experiência. Experiência. Heterologia.


Orientador

Pasqualino Romano Magnavita


Baixe aqui