Mestrado

Espaços de confinamento: fronteiras e permeabilidades

Renato Wokaman Neri dos Santos

2013

Neste trabalho refletimos acerca da Politica de Segurança Publica Brasileira, especialmente ao que diz respeito à construção de novas edificações penitenciárias como suporte às praticas punitivas, uma compilação do modelo norte americano que tem demandado, no Brasil como nos EUA e Europa forte e acaloradas discussões quanto aos mecanismos de contenção à criminalidade e violência. Diante da evidencia, buscamos a partir de referencial teórico e visita in loco em áreas distintas, uma localizada no bairro da Mata Escura onde foi construída a Penitenciária Lemos Brito – PLB nos anos cinquenta do século XX e outra em Lauro de Freitas no Distrito do Caji lócus aedficandis do Complexo Penitenciário Lauro de Freitas – CPLF em meados de 2004, ambas na Região Metropolitana de Salvador, além das ampliadas e/ou construídas em São João del-Rey em Minas Gerais e São Pedro de Alcântara em Santa Catarina, também recentes, verificar as características emblemáticas de instituição total ou mesmo disciplinar tendo em vista a evidencia de permeabilidades distintas conforme tipo, estrutura e modelo do espaço de confinamento que afirmam a presença de fluxos e relações entre o bairro, a prisão e a cidade, contrariando consequentemente o suposto isolamento total não apenas por existir conexões entre o entro e o fora, mas por demais ações que perpassam, inclusive as fronteiras do próprio bairro a exemplo dos itinerários e costumes.


Palavras-chave: Penitenciária. Violência e criminalidade. Permeabilidades.


Orientador

Washington Luis Lima Drummond


Baixe aqui