Mestrado

À margem: Diante da poesia, diante da cidade

Dilton Lopes de Almeida Junior

2017

Esta pesquisa visa a construção de narrativas históricas a partir das narrações e imagens (PAZ, 2012) encontradas nas poesias marginais de Nicolas Behr, Chacal, Torquato Neto, Waly Salomão e do coletivo Nuvem Cigana que colocassem em existência as transformações urbanas ocorridas entre os anos de 1960 e 1970 em duas cidades brasileiras: a antiga capital federal, Rio de Janeiro e a moderna Brasília. Assume-se o risco do anacronismo, pois diante das poesias elencadas pôde-se prescrutar as cidades, suas transformações e suas sedimentações históricas que impregnam-se na memória. Elegeu-se o Atlas, como suporte cartográfico e imagético capaz de visibilizar as coexistências e ambivalências presentes nas narrativas sobre as transformações urbanas estudadas. Diante dos discursos e projetos civilizadores, buscou-se entrever através da lírica, subjetividades marginalizadas que atestam e subvertem as lógicas excludentes e colonizadoras às quais são lhes impostas, profanando-as, aberrando outras racionalidades e permitindo a perseverança de outros modos de existência.


Palavras-chave: Poesia marginal. História das cidades. Transformações urbanas. Profanações.


Orientadora

Paola Berenstein Jacques


Baixe aqui