Pós-Doutorado Sênior

A moradia popular e a metrópole no contexto atual: perspectivas para a construção de uma escola de [trans]formação urbana

Luciana da Silva Andrade

O objetivo da pesquisa é desenvolver análises, reflexões e proposições para a formulação de uma escola que trabalhe a perspectiva de transformação urbana no processo de formação de leigos e técnicos. A partir de experiências de [trangressões in]disciplinares desenvolvidas em decorrência de nossa atividade como professora da FAU-UFRJ e do apoio à Ocupação Solano Trindade, localizada no em Duque de Caxias, cidade da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, fomos identificando potencialidades e impossibilidades decorrentes do formato disciplinar-fragmentado da formação técnica, particularmente a do arquiteto-urbanista. Ao mesmo tempo que o foco em questões concretas permitiram, por exemplo, romper os limites de uma disciplina tradicionalmente tratada com enfoque elitista, como o projeto de interiores, encontramos uma série de entraves tanto para o estabelecimento de um diálogo mais efetivo com os moradores, quanto para ações de ensino-aprendizagem mais engajadas com a atividade fim da arquitetura-urbanismo, que é a sua própria realização e não apenas a sua projeção. Vale destacar também a não estanqueidade dos limites disciplinares que envolvem os campos que atuam com e na cidade, como o direito, engenharias, sociologia, geografia, dentre outras várias disciplinas. Após experiências [in]disciplinares desenvolvidas ao longo de quatro anos, sentimos necessidade de superar o trabalho desenvolvido nas frestas ou fissuras do sistema educacional disciplinar para empreender um proposta de [trans]formação que abarque um processo mais profundo e igualitário de construção do conhecimento para a ação urbana. Nossa ênfase é no urbanismo-arquitetura, mas a perspectiva é a de tensionar tanto os necessários diálogos disciplinares no âmbito da educação superior, como também a de promover o encontro entre diferentes níveis de formação com o objetivo de costurar as profundas divisões – social, sexual, além da técnica – do trabalho promovidas no âmbito da modernidade periférica que estamos submetidos. O nosso referencial teórico-metodológico trabalha com epistemologias que colocam em questão os valores hegemônicos tanto para a concepção da cidade, como para a construção do conhecimento. Sem estabelecer uma relação rígida com os autores, mas trabalhando em função da pertinência da sua formulação para a pesquisa , transitamos tanto por pensadores que atuam em dimensão mais filosófica, como aqueles que trabalham estabelecendo o diálogo com a praxis arquitetônico-urbanística. Enveredamos também por reflexões do campo da pedagogia. Nossa expectativa é que no fim do período da pesquisa, consigamos ensaiar proposta para uma “escola de [trans]formação urbana”.


Palavras-chave: Espaço urbano. Formação superior. Habitação social.


Supervisora

Paola Berenstein Jacques

Período

2018-2019