TFG

Vazio(s) imaginário(s)

Matheus Silva Lins

2014

Situada entre os bairros da Liberdade e do Barbalho, a Lapinha, apesar de estar inserida no contexto de duas festas populares importantes da cidade de Salvador (a Festa de Reis e a Independência da Bahia), e além de suas características arquitetônicas peculiares (como a igreja que dá nome ao bairro com o seu interior, remetendo ao moçárabe) e de sua morfologia urbana caracterizada pela transição entre o centro histórico e edificações populares; é uma região cuja localização e, principalmente, a lembrança da sua espacialidade são comumente desconhecidas. É como se ali houvesse um vazio no imaginário; um vazio da experiência urbana. A partir desse ponto, o trabalho se desenvolve na análise do bairro da Lapinha/Soledade, buscando entender o que seriam esses “vazio(s)”, os fluxos dessa região e suas tensões nos processos que configuram esse espaço no “imaginário” tanto local quanto da cidade.


Palavras-chave: Lapinha. Imaginário. Urbanismo.


Orientadora

Paola Berenstein Jacques


Baixe aqui