Artigo

Urbanismo aqui e agora: a experiência de Alagados

Amine Portugal Barbuda, Diego Mauro Muniz Ribeiro, Ícaro Vilaça Nunesmaia Cerqueira e Tiago Schultz

Anais do Seminário Urbanismo na Bahia – UrbBA, Salvador, 2011

Em Alagados*, a qualidade dos espaços públicos transcende sua materialidade e está muito relacionada à uma ideia de calor, de troca, de presença. A construção dos lugares passa pelo corpo, pela memória e pelos afetos. A partir da subjetividade dos moradores, se constroem territorialidades vivas e transitórias que condicionam os percursos no bairro. Diante disso, é possível pensar num “urbanismo aqui e agora”** a partir de uma atuação micropolítica que seja capaz de desestabilizar os limites subjetivos que dificultam a permeabilidade e a possibilidade de troca no bairro. Essa perspectiva aponta para a possibilidade de construção de uma metodologia urbanística capaz de pensar a cidade a partir do campo, tendo como base a noção de experiência, a relação com o outro e o engajamento direto do arquiteto-urbanista no processo projetual.

*Bairro que integra o Subúrbio Ferroviário de Salvador.

**Expressão utilizada por Daniela Brasil, professora e pesquisadora da Bauhaus Universität Weimar, no texto “Por uma micropolítica de espaços públicos: práticas do Rio e Berlim e vice-versa”. In: FESSLER VAZ, Lilian; ANDRADE, Luciana; GUERRA, Max Welch (orgs). Os espaços públicos nas políticas urbanas: estudos sobre o Rio de Janeiro e Berlim. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008.


ARTIGO COMPLETO

Acesse aqui