Artigo

Um artefato cenográfico na invenção espetacular do cotidiano

Eliézer Leite Rolim Filho

Anais do II Urbicentros, Maceió, 2011

Este artigo descreve a evolução da cenografia que nasceu nos teatros e, na era pós-moderna, chegou às salas de exposições criando os novos paradigmas dos “novos museus” e, por fim, deflagrando os processos de espetacularização nos centros urbanos. A partir de uma experiência empírica ocorrida na pequena cidade de Taperoá, transformada urbanamente pela cenografia da minissérie “ A Pedra do Reino”, da obra de Ariano Suassuna, realizada pela Rede Globo de Televisão em 2006, no cariri paraibano, este artigo descreve o processo de criação do conceito artefato cenográfico como agenciador da espetacularização do cotidiano dos centros históricos urbanos


ARTIGO COMPLETO

Baixe aqui